Hino de Osiris — Epagomenal 1

E. A. Wallis Budge, Lendas dos Deuses Egípcios

Homenagem a ti, Osíris, Senhor da eternidade, Rei dos deuses, cujos nomes são múltiplos, cujas transformações são sublimes, cuja forma está escondida nos templos, cujo Ka é sagrado, o governador de Busiris, o poderoso do santuário, o Senhor dos louvores no Nomo Andjet, Regente em Heliópolis, Senhor que é comemorado na cidade de Maati, a misteriosa Alma, o Senhor de Qerret, o sublime em Mênfis, a Alma de Rá e seu próprio corpo, que tem a tua habitação em Herakleopolis, o beneficente, que é louvado em Nart, que faz subir a tua Alma, Senhor da Grande Casa na Cidade dos Oito Deuses que inspiram grande terror em Shas-hetep, Senhor da eternidade, Governador de Abidos.

Teu domínio alcança a terra sagrada, e teu nome está firmemente estabelecido na boca dos homens. Tu és a dupla substância das Duas Terras em todos os lugares, o divino Ka, o Governador da Companhia dos Deuses, e a benéfica Alma entre as almas. O deus Nu extrai as suas águas de ti, e tu trazes o vento norte à tarde, e entra em tuas narinas para a satisfação do teu coração. O teu coração floresce e tu trazes o esplendor do alimento.
O topo do céu e as estrelas são obedientes a ti, e tu fazes com que sejam abertos os grandes portões do céu. Tu és o senhor a quem os louvores são cantados no céu do sul, tu és aquele a quem são dadas graças no céu do norte. As estrelas que nunca diminuem estão sob o teu rosto e os teus lugares são as estrelas que nunca descansam. Ofertas aparecem diante de ti pelo comando de Geb. A Companhia dos Deuses enviam louvores a ti, os deuses-estrelas dos Duat prostram-se, os domínios se inclinam diante de ti e os confins da terra fazem súplica a ti quando te vêem.

Aqueles que estão entre os puros estão no terror dele e as Duas Terras, todas elas, fazem aclamações a ele quando se encontram com Sua Majestade. Tu és um nobre resplandecente na chefia dos nobres, permanente no alto escalão, estabelecido na tua soberania, o poder benéfico da Companhia dos Deuses. Agradável é o teu rosto e tu és amado por aquele que te vê. Tu pões o temor em todas as terras, e por causa do amor por ti, os homens mantêm teu nome como preeminente. Todo homem faz ofertas a ti e é o Senhor que é comemorado no céu e na terra. Muitos são os gritos de aclamação para ti no festival de Uak, e as Duas Terras gritam alegremente em uníssono. Tu és o mais velho, o primeiro de teus irmãos, o Príncipe da Companhia dos Deuses e o criador da Verdade nas Duas Terras. Tu sentas sobre o grande trono de seu pai Geb. Tu és o amado da tua mãe Nut, é o mais poderoso quando derrubas o Demônio Seba. Traspassaste o teu inimigo e puseste o teu medo no teu Adversário.

Tu és o senhor das mais remotas fronteiras, o estável de coração e tuas duas pernas estão erguidas; tu és o herdeiro de Geb e soberano das Duas Terras. Geb viu as tuas esplêndidas qualidades e te ordenou que reinasse as terras (isto é, o mundo) pelas tuas mãos, tanto quanto o tempo suportar.
Tu fizeste esta terra com a tua mão, as águas, os ventos, as árvores e as ervas, o gado de toda espécie, as aves de todas as espécies, os peixes de todas as espécies e os répteis. A terra pertence por direito aos filhos de Nut, e as Duas Terras têm contentamento em fazê-lo subir ao trono de seu pai como Rá.
Tu sobes para o horizonte, tu fixas a luz acima da escuridão, tu iluminas as Duas Terras com a luz das tuas duas plumas, tu inundas as Duas Terras como o Disco no começo da aurora. Tua Coroa Branca perfura a altura do céu saudando as estrelas, tu és o guia de todo deus. Tu és perfeito em comando e palavra. Tu és o favorito da Grande Companhia dos Deuses e tu és o amado da Pequena Companhia dos Deuses.
Tua irmã Isis age como uma protetora para ti. Ela afasta os teus inimigos, evitou as estações de calamidade para ti, recitou a palavra com o poder mágico da sua boca, sendo hábil na língua e nunca parou por uma palavra, sendo perfeita no comando e na palavra. Ísis, a maga, vingou seu irmão. Ela te procurou incansavelmente.

Ela procurou por toda a terra soltando gritos de pesar e ela não tombou ao chão até encontrá-lo. Luz saiu das penas de suas asas assim como o ar para ti e gritou em desespero a sua morte para os cantos do mundo. Ela elevou os membros indefesos daquele cujo coração estava em repouso, ela tirou de ti sua essência e, desta essência, ela fez Hórus. Ela amamentou a criança em solidão e ninguém sabia onde ela estava. E ele cresceu em força. Sua mão é poderosa dentro da casa Geb e a Companhia dos Deuses regozija-se grandemente com a vinda de Hórus, o filho de Osíris, cujo coração está firmemente estabelecido, o triunfante, o filho de Ísis, a carne e osso de seu pai. O Pai da Verdade na Companhia dos Deuses, o próprio regente e os Senhores da Verdade juntam-se a ele e reúnem-se nele. Na verdade, aqueles que derrotam a iniquidade se regozijam na Casa de Geb para outorgar a posição e a dignidade divina a quem pertence e a soberania daquele quem é de direito.

Image for post
Image for post

Tradução para o português: Allan Koschdoski

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store